Dezembro - 14 - Quinta

E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus. Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pequena fé, por que duvidaste?
Mateus 14:29-31

SENHOR, SALVA -ME!

Lembro-me bem do dia de Natal que ameaçou tornar-se o último dia de minha vida. Eu tinha cerca de 12 anos. Há alguns dias, o lago próximo de nossa vila tinha congelado o suficiente para as pessoas patinarem. Eu estava ansioso para experimentar os patins que tinha ganhado. Arrisquei patinar ao lado do cais sobre uma camada, muito mais fina de gelo, do que eu tinha imaginado. De repente, um som abafado pôde ser ouvido. Antes que entendesse o que estava acontecendo, eu estava dentro da água. Em choque por causa da temperatura da água, não podia gritar. Meu braço direito era o único meio de chamar a atenção. Felizmente, algumas pessoas na margem me viram, seguraram minha mão para me puxarem para o cais. Eu fui salvo!
Minha desventura é uma ilustração do estado humano. Hoje observamos o drama da humanidade sendo arrastada para um perigo cada vez maior pelo pecado. Entretanto, uma mão continua estendida, a do Senhor Jesus. Do Seu lado o socorro é possível. Ele está esperando que nós estendamos nossa mão para Ele como fez Pedro, acerca de quem lemos: “... começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o”.
Minha experiência, que poderia ter sido fatal, ensinou-me que estava correndo em direção à perdição eterna e que não poderia salvar a mim mesmo. Então segurei a mão que o Senhor Jesus estava estendendo para mim.