Maio - 27 - Domingo

E tomaram a Jesus, e o levaram. E, levando ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota, onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio
(João19: 16-18).

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS

“E tomaram a Jesus, e o levaram”; nisso a culpa do homem atingiu a magnitude de um tsunami. “E, levando ele às costas a sua cruz, saiu”: dessa forma, foi manifestada a grande vitória do amor divino sobre o ódio humano. Ele não foi arrastado, nem forçado a seguir. Ele saiu. Nenhum homem Lhe tirou a vida. Ele a entregou voluntariamente. Não houve resistência, nem arrependimento e, cada passo que Ele deu em direção ao Gólgota, abalou o reino do diabo.
E ali, “eles o crucificaram”. E o Cristo crucificado é a resposta de Deus para a mentira proferida pelo diabo no Éden. Se Deus houvesse nos deixado colher os amargos frutos da nossa rebelião e pecado, nós não poderíamos reclamar, mas em vez disso, Ele tomou sobre Si a missão de dispersar as trevas e derrubar o poder do diabo por meio dessa poderosa e convincente prova de Seu amor por nós. Satanás fez com que os homens acreditassem que Deus era um Mestre duro. Deus tem provado que Ele está cheio de amor ao dar o melhor presente que estava no céu, que era Seu próprio Filho amado. É quando a gloriosa luz desse amor brilha nos corações dos homens que o poder de Satanás encontra seu fim. Jesus foi levantado sobre a cruz, e esse ato revelou toda a verdade, a mentira foi exposta, as trevas da insegurança passaram e Deus triunfou. Quão grande é o esplendor do Calvário! Por sua luz gloriosa, nós temos sido despertados de nossa noite de sono, como por um sol nascente pela manhã. Nós somos compelidos a exclamar: “então Deus nos ama de fato”! A entrada de Sua Palavra trouxe a luz acompanhada da liberdade. As cortinas das trevas foram destruídas e nossas almas deram um passo em direção ao dia. O amor perfeito foi demonstrado na cruz.